Loading...

Regras de Convivência

Postado em 12 fevereiro

Apesar de ser bastante enriquecedor, o convívio é uma das condições mais desafiadoras entre os seres humanos. Se com quem gostamos ou amamos, muitas vezes, a convivência pode se desgastar, imagina com aqueles que moram perto de nós, mas com quem temos pouco – ou nada – em comum, além do local onde moramos.

Para ajudá-los, algumas regrinhas básicas devem ser observadas e seguidas dentro do condomínio, para que todos tenham uma rotina harmoniosa.Papel de extrema importância dentro do condomínio, o síndico é responsável por gerenciar as principais questões e a boa convivência é uma delas. Uma de suas funções é informar corretamente aos moradores todas as regras comuns e, acima de tudo, tratar as situações com muito bom senso e seriedade, para que o resultado seja de condôminos em harmonia.

Mas, atenção, o síndico não pode exagerar ou abusar do poder! Todas as regras precisam ser acordadas entre a maioria dos moradores nas reuniões que acontecem periodicamente. Mas, mesmo que os interesses em comum estejam estabelecidos, muita gente parece não saber nem o básico para se ter uma convivência agradável no condomínio.

Confira algumas dicas básicas que, mesmo se não estiverem escritas, podem facilitar o convívio entre moradores:

Ruídos dentro do apartamento

Em muitos locais do Brasil, a lei determina que, após 22h, nenhum barulho alto será tolerado, e o silêncio deve reinar nas áreas comuns e apartamentos. Mas isso não significa que até 21h59 todo tipo de bagunça será bem vista pelos vizinhos. O bom senso nesse caso é o mais indicado.Além das crianças, agitadas por natureza, os cães, por exemplo, costumam fazer barulho, então é preciso ter atenção redobrada com o animalzinho.

No caso de festas no apartamento, o melhor conselho é realizá-las durante o dia e, caso saiba que vai ultrapassar um pouco do horário recomendado, é válido desculpar-se de antemão para quem mora nos apês mais próximos (dos lados, em cima e no andar de baixo). Encontre o equilíbrio: também não precisa sussurrar o “parabéns pra você”, que acontece uma vez ao ano.

Regras gerais precisam ser respeitadas

Por mais que um morador não concorde 100% com o que foi votado nas reuniões de condomínio, é preciso seguir o que foi estipulado pela maioria dos votantes. E isso não tem que ser motivo de inimizade ou atrito mais sério entre dois moradores com opiniões distintas. Geralmente, o senso comum prevalece, mas podem ocorrer episódios em que alguém se sinta seriamente prejudicado ou ferido em seus direitos – alguns condomínios, por exemplo, não permitem nenhum tipo de animal.

Nesses casos, a saída nunca é partir para qualquer tipo de ação impensada ou fora do tom, mas sim tentar debater e colocar em discussão todos os argumentos que validem a posição frente a determinado assunto. Uma conversa, por exemplo, é muito mais eficaz do que brigas ou fofocas – que não geram nada além de mal-entendidos e nenhuma resolução. Saber reconhecer que seu voto não faz parte do consenso também é um exercício de cidadania, mesmo que em um universo menor, como o condomínio.

Além dos moradores, o bom convívio com funcionários é imprescindível

Tratar as pessoas que trabalham no prédio com o máximo de educação e respeito é algo que precisa ser 100% protegido pelos condôminos. Nunca serão aceitas reclamações acerca de alguma questão pessoal, a menos que esteja atrapalhando o convívio – o que a torna imediatamente uma questão profissional.

Mesmo assim, todas as dúvidas e questionamentos devem ser feitos para o zelador ou para o síndico, afinal, o funcionário do condomínio tem um contrato com o prédio, e não com os moradores em específico. Isso inclui a questão de não solicitar nenhum tipo de serviço particular aos empregados, ao menos que não seja no horário em que eles estiverem trabalhando para a edificação.

Evite levar pessoas de fora às áreas comuns

De tempos em tempos, algum morador quer comemorar ou apenas receber a visita de pessoas que não moram no condomínio. Não há o menor problema nisso, a não ser que a ação influa na rotina dos outros condôminos. Geralmente, os visitantes devem limitar a estadia ao apartamento para o qual foram convidados e ao salão de festas (quando alguma comemoração ocorrer neste lugar).

Entrar na piscina, usar a quadra de esportes ou mesmo andar livremente pelo condomínio é, geralmente, proibido ou contraindicado.

Seguindo essas regras básicas, o convívio no condomínio tem tudo para ser o mais prazeroso possível a todos que compartilham do mesmo espaço para viver.

Fonte: http://www.bko.com.br/blog/apartamentos/regras-do-condominio-residencial-boa-convivencia-depende-equilibrio/, acesso em 01/02/2018.


No seu condomínio existe um meio onde os moradores envie sugestões e tire dúvidas com corpo diretivo?

CONHEÇA O CONECTCON SOCIAL
Comercial
(11) 4116-3571
Escritório
Rua Apiacás, 756 - Perdizes CEP: 05017-020
São Paulo, SP, BRASIL
Subir a Página
 Anterior  Todos Próximo